Mastologia

Mastologia


Conheça os principais tratamentos da área de mastologia oferecidos pela Clínica Prime Care!

  • Câncer de mama
  • Doença benignas da mama
  • Ultrassonografia das mamas;
  • Biópsia de mama;
  • Cirurgia para exérese de mamas acessórias
  • Cirurgia para Ginecomastia
  • Cirurgia para retirada de nódulos mamários (Nodulectomia);
  • Cirurgias para tratamento de câncer de mama: Adenectomia, Mastectomia, Quadrantectomia, Linfadenectomia axilar, Biópsia do linfonodo sentinela.

Doenças e Distúrbios

É a doença maligna mais comum entre as mulheres. No ano de 2016, foram quase 58 mil casos novos no Brasil, em Sāo Paulo a taxa é de 70 casos novos para cada 100 mil mulheres.
A principal apresentação costuma ocorrer como nódulos palpáveis, mas o ideal é o diagnostico precoce, que pode ser feito com a prática do rastreamento.
Por isso todas as mulheres a partir dos 40 anos devem realizar a mamografia anualmente, para que os casos bem iniciais, com lesões menores de 1cm, já sejam diagnosticas e iniciado o tratamento.
O câncer de mama quando tratado em estágios iniciais tem ótimas chances de cura.
Existem vários tipos de doença e para cada tipo e cada paciente o tratamento será planejado.
O tratamento pode incluir cirurgia, quimioterapia, radioterapia e ainda hormonioterapia.

Entre 10-20% das mulheres vão apresentar algum nódulo nas mamas durante a vida. A grande maioria deles são benignos e os mais comuns são os Fibroadenomas – nódulos firmes, elásticos, bordas regulares que podem ser múltiplos ou bilaterais.

A conduta  costuma ser conservadora, mas existem situações especiais em que pode haver necessidade de cirurgia.

São cistos com conteúdo líquido em seu interior. Tem maior incidência  na perimenopausa entre 40 e 50 anos.A maioria deles não necessitam de seguimento, mas podem sem aspirados se dolorosos ou operados se recorrentes. Não aumentam o risco para câncer de mama.

Principal queixa na consulta de mastologia.
Prevalência de  65-70% das mulheres, mais comum na adolescência.
Pode ser cíclica quando relacionada ao ciclo menstrual ou acíclica quando não apresenta período específico. Na maioria dos casos a orientação durante a consulta com especialista esclarece e tranquiliza a maioria das pacientes.

A saída de secreção pelo mamilo pode ser amarelada ou esverdeada, branca, transparente ou ainda sanguinolenta.O fluxo pode estar presente em todos os ductos, em um ducto único, pode ser uni ou bilateral. Para melhor avaliação o mastologista deve ser consultado para esclarecer a melhor forma de investigação. Na maioria dos casos as secreções estão relacionadas a dilatação dos ductos ou pequenos nódulos intraductais que costumam ser benignos. Mas em alguns casos pode haver relação com câncer de mama.

Presença de tecido mamário em regiões em que houve falha na regressão da linha mamária durante o desenvolvimento na vida fetal.
O local mais comum são as axilas, mas podem existir também no abdome ou virilhas.
Pode ser realizada cirurgia quando houver desejo das pacientes.

Crescimento benigno da glândula mamária em homens. É mais comum em recém-nascidos, adolescentes e idosos, costuma ser transitório na maioria dos casos.
Pode ter origem em um desequilíbrio hormonal entre estrogênio e testosterona. E ao diagnóstico deve ser diferenciada a ginecomastia verdadeira  (que tem presença de tecido mamário ) da lipomastia (que apresenta apenas tecido gorduroso).
O tratamento cirúrgico pode ser indicado em alguns casos quando desejo do paciente.

São inflamações das mamas que podem ter causas variadas, mas  as mais comuns são infecções bacterianas.
O período em que ocorre maior risco é no pós parto, e costumam ser mais comuns em primigestas e após cesáreas eletivas.
Pacientes com mamilos planos,  pele fina e clara têm risco aumentado.
O tratamento costuma ser com antibióticos e em alguns casos pode ser necessária drenagem cirúrgica caso haja abscesso associado.

Exames da Mama

Exame deve ser realizado por todas as mulheres após os 40 anos, ou antes em situações especificas.
Em geral são realizadas 2 incidências em cada mama.
Não aumenta o risco de câncer de tireoide.
Pacientes com próteses mamarias devem fazer com a mesma regularidade.

Indicada para complementação diagnóstica em alguns casos de mamas densas, seguimento de pacientes com nódulos mamários ou para avaliação de lesões palpáveis.

Indicada para rastreamento de pacientes de alto risco para câncer de mama.
Utilizada para controle durante o tratamento de casos de câncer de mama que seja realizada quimioterapia neoadjuvante e em casos específicos.

Exame que tem sido utilizado mais nos últimos anos, costuma ajudar na avaliação de assimetrias vistas nas mamografias. Mas não substitui a mamografia e não deve ser feita para todas as pacientes pois tem 3x mais radiação que a mamografia digital convencional.

Biópsias

Normalmente realizada com auxilio de ultrassom, realizada aspiração de células que serão encaminhadas para avaliação na patologia, mais utilizada para linfonodos.

Mais utilizada para diagnóstico de nódulos, realizada retirada de fragmentos de tecido que serão encaminhadas para avaliação na patologia, costuma ser guiada por ultrassonografia.

Mais utilizada para diagnóstico de microcalcificações, realizada retirada de fragmentos maiores de tecido que serão encaminhadas para avaliação na patologia guiada por mamografia na maioria dos casos, mas pode ser guiada também por ultrassonografia e utilizada em casos de nódulos pequenos, em torno de até 1 cm.

Prevenção do Câncer de Mama

Procedimentos

Tratamentos adjuvantes para o Câncer de mama

O seguimento das pacientes com câncer de mama costuma ser realizado com equipe multidisciplinar para realização dos tratamentos adjuvantes e reabilitação.
A Quimioterapia e Hormonioterapia são realizadas pelo médico Oncologista e Radioterapia médico radioterapeuta. Assim como com médico fisiatra e fisioterapeuta para reabilitação.